CAMPO MINADO 3 – MULTITUDINE SOLITUDINE

CAMPO MINADO 3 – MULTITUDINE SOLITUDINE

29 Novembro- 5 Dezembro

abertura: 29/11 às 15h00

 

O Espaço Art´er apresenta o projeto Campo Minado 3, da curadora Lilian Bado. Nesta 3º edição Campo Minado convida artistas e interessados em experiências artísticas contemporâneas a encontrarem-se por um fim de semana. O Campo Minado além de exibir arte de diferentes linguagens, promover o diálogo e o encontro de pessoas.

O foco das exposições é criar um evento para que pessoas se conheçam e ampliem sua rede de contatos. O tema da 3ª edição do Campo Minado, Multitudine Solitudine, é uma constatação do mundo atual de como é difícil encontrar alguém para nos relacionarmos harmoniosamente. Cada pessoa precisa se juntar a outra, ou outras, para realizar projetos, porém, parece muito difícil encontrar um parceiro, mesmo em um mundo com bilhões de pessoas, bilhões de estranhos. No Campo Minado, o espectador chegará a conclusão de que o modo de relacionar-se é diferente, pois não está em uma instituição convencional. A conversa, o diálogo, o encontro, a troca de olhares é propício no Campo Minado, ao contrário dos museus. A mostra é um reflexo da produção atual brasileira em conexão com algum artista estrangeiro. Essa reflexão forma parte da própria exposição, que oferece ao visitante uma área propícia para elaborar uma rede de contatos, de relações interdisciplinares.

Diferente das edições passadas, Campo Minado 3 será apresentado em um espaço mais amplo  com mais possibilidades artísticas. A coletiva abrange performances como as de Filipe Bittencourt e da espanhola Laura Díez García, que tratam da distância dos papéis do artista e do público. Nas paredes serão apresentadas os projetos de Jonas Esteves, que pesquisa tecnologia e arte com objetivo de criar máquinas como o Robô Companhia 1.0, e os registros fotográficos de multidões em shows de rock de Júnior Ahzura.

Entre os trabalhos em disciplinas mais tradicionais aparecem as obras pictóricas de Lúcia Quintiliano e as xilogravuras de Heraldo Candido.  A exposição conta com vídeos de Flávia Paiva e da própria curadora  Lilian Bado, resultado de suas experiências, por vezes solitárias, em terra estrangeira.

A maioria deles nascidos na geração dos 70 e 80 apresentam um formato e um tipo de obras com uma tendência transgressora e contemporânea. Artistas como o colombiano Carlos Monroy e a francesa Cécile Yess. trazem suas subjetividades internacionais criando assim um diálogo heterogêneo.

A exposição conta também com as fotografias de Camila de Paz, tocando em temas como solidão e relacionamento, a jam session dos músicos experiementais Vanice Ribeiro e Crisitiano Sidoti, que pretende envolver todos na mesma sintonia, e participação especial de Renata de Andrade em uma das imagem de divulgação. Como atividades paralelas, durante a exposição no Espaço Art´er, teremos bate-papo com os artistas e o crítico Carlos Jiménez Vázquez.

Programação do final de semana:

Sábado

15h abertura

15h30 brinde

16h00 performance Entorno, Flávia Paiva, artista proponente Laura Díez García

18h00 performance Um intervalo entre nossos instantes, Felipe Bittencourt

19h30 jam session de música Vanice Ribeiro e Cristiano Sidoti

22h00 encerramento

Domingo

intervenção performática de Cécile Yess. (sem horário definido)

15h abertura

16h00  jam session de música Vanice Ribeiro e Cristiano Sidoti

19h00 bate papo com curadora e os artistas, mediado pelo crítico Carlos Jimenez Vázquez

22h00 encerramento

Caso queira Compartilhar . :


    Os comentários estão fechados.